sábado , 5 agosto 2017

Pastor tem rosto queimado com ácido por grupos islâmicos

Este artigo já foi visto6122 vezes!

Pastor-Mulinde-rosto-queimado-com-acido

Líderes Cristãos do Uganda condenaram o ataque levado a cabo contra um pastor local. O mesmo, que teve ácido atirado à sua cara na Véspera de Natal, ficou com o seu olho direito cego e um dos lado da sua cara desfigurado. Teve o rosto queimado com ácido.

Suspeita-se que o ataque ao Pastor Umar Mulinde da Gospel Life Church em Kampala deva-se ao facto da sua conversão das trevas para a luz do islão para o Cristianismo. Segundo a New Vision, não só o pai de Mulinde foi imã, como ele provém duma rígida família muçulmana. O pastor era um sheik antes de se voltar para o Cristianismo – decisão que gerou muita comoção na sua comunidade.

O ataque ocorreu por volta das 21:00 na Véspera de Natal, e logo após o mesmo, o pastor foi levado de emergência para o International Hospital Kampala pelos membros da igreja.

A condição do pastor, entretanto, estabilizou-se o suficiente para este poder partilhar detalhes do evento:

Fui atacado por um homem que alegou ser um Cristão. Ele chamou-me em voz alta dizendo “pastor, pastor!”. Quando me virei, ele despejou ácido em cima, o que me queimou parte da cara.À medida que eu me afastava do atacante, outro homem atirou-me líquido nas costas e fugiu gritando ‘Allah Akbar (“Alá é o maior”).

O pastor revelou que há já algum tempo que recebia ameaças mas que nunca as levou a sério até agora.

Fonte

. . . . .

Aos comentadores maometanos que por aqui andam (escrevendo em maiúsculas e emitindo alegações claramente falsas), fica uma pergunta: se se confirmar que este ataque foi de facto levado a cabo pelos adoradores do deus Alá – o deus árabe – como é que o islão condena este acto?

Interessante que ele tem perfil no facebook: https://www.facebook.com/mulinde.umar.5?fref=ts&ref=br_tf

Fonte: http://perigoislamico.blogspot.com/2011/12/uganda-muculmanos-demonstram-natureza.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *