sexta-feira , 15 dezembro 2017

Os Sinais do Fim – Esfriamento do Amor – Frank Medina

Os Sinais do Fim – Esfriamento do Amor.


“E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará.” (Mateus 24: 12)


Queridos, tudo bem?

 

Que o amor de Deus a graça e paz de Jesus Cristo e a comunhão do Espírito Santo esteja contigo e com todos os que você ama no dia de hoje e para todo o sempre.

 

Temos visto em nossos dias vários sinais que nos mostram as profecias bíblicas se concretizarem a respeito da volta de nosso Senhor Jesus Cristo; como esta escrito no livro de Daniel 12: 4, vemos a ciência se multiplicando de forma incrivelmente rápida; em Mateus 24 esta escrito que ouviríamos falar de guerras, que haveria fome na terra, terremotos, que seríamos odiados por falarmos no nome do Senhor nosso Deus e tantos outros sinais enviados pelo Senhor com o único objetivo de fazer as pessoas se voltarem novamente ao Caminho (Jesus Cristo) e se arrependerem de seus pecados e se firmarem novamente na Rocha que é Jesus Cristo. Esta escrito e eu creio, ainda veremos coisas terríveis nos últimos dias da Igreja de Cristo na terra, mas a promessa do Senhor para nós diz o seguinte: Mas quem perseverar até o fim, esse será salvo.” (Mateus 24: 13) O que podemos dizer com alegria é: “…Maranata, ora vem Senhor Jesus.” (Apocalipse 22: 20)

 

Tudo o que falamos já é de nosso conhecimento, e em grau maior ou menor estamos preparados para os sinais proféticos do fim. O que quero abordar é um dos sinais que mais deveria preocupar aqueles que são cristão, como esta escrito em II Crônicas 7: 14 e se o meu povo, que se chama pelo meu nome…” Nós (cristãos) somos o povo do Senhor e temos declarado a quem possa ouvir que somos representantes do Senhor Deus aqui na terra e temos a verdade bíblica para as soluções de todos os problemas da existência humana, tudo isso é verdade e esta na Bíblia, mas temos em muitas oportunidades agido totalmente ao contrário daquilo que pregamos, a base e o princípio do cristianismo é o AMOR, fomos alcançados pelo amor do Senhor para com as nossas vidas conforme lemos em João 3: 16 “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” Jesus Cristo nos disse: “…Respondeu-lhe Jesus: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.” (Mateus 22: 39 e 40)

 

Em Mateus 24: 12 lemos “E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará.” Temos visto no meio dos cristãos várias ações que demostram falta de amor para com o Senhor e para com o nosso próximo, temos visto em nosso meio pessoas levantando falso testemunho contra aquele que é seu irmão(a), e isso é abominação aos olhos do Senhor como esta escrito em Provérbios 6: 16 a 19. Temos visto irmãos sem praticamente olhar para outros irmãos e ainda dizerem que somente se suportam, a Palavra de Deus jamais apoiaria isso, o que esta escrito é: “Com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, procurando diligentemente guardar a unidade do Espírito no vínculo da paz.” (Efésios 4: 2 e 3) e ainda: “Suportando-vos e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como o Senhor vos perdoou, assim fazei vós também. E, sobre tudo isto, revestí-vos do amor, que é o vínculo da perfeição.” (Colossenses 3: 13 e 14)

 

Temos sido conduzidos e condicionados pela mídia a viver uma vida onde a nossa vida e as nossas dificuldades são as mais importantes, o que aprendemos é que devemos ser felizes e temos deixado de lado o amor e o cuidado para com o nosso próximo. Não é regra, graças a Deus, mas a maioria dos cristãos já não sofrem mais por uma alma perdida, quando vemos imagens de pessoas subnutridas, sofrendo perseguição, morando em locais sem nenhuma condição de higiene, etc., nos emocionamos e até prometemos ajudar de alguma forma, mas os dias passam e voltamos a cuidar apenas de nossas vidas, nos esquecemos de nossas promessas. Chegamos ao absurdo de ouvir “cristãos” apoiando a pena de morte em nosso país, vemos outros “cristãos” apoiando o aborto. Vemos pais “cristãos” que não educam seus filhos e permitem todo o tipo de rebeldia, não sabem falar não aos exageros dos filhos e com isso vemos uma geração individualista e de difícil convívio, isso é fata de amor, pois um dia nossos filhos crescerão e ouvirão muitos nãos em sua caminhada e sofrerão com isso. A Palavra de Deus nos diz o seguinte: Aquele que poupa a vara aborrece a seu filho; mas quem o ama, a seu tempo o castiga. (Provérbios 13: 24) Ainda na questão familiar, quantos casamentos de “cristãos” estão acabando em separação com o motivo de não haver mais o amor, precisamos entender que amor é prática, quanto mais amamos, mais desejaremos amar e o contrário também é verdadeiro. O amor não é um dom de Deus, o amor em nossas vidas é uma consequência.

 

Existe, infelizmente, muitas outras ações que nós os cristãos praticamos que indicam falta de amor, ou que nosso amor esteja esfriando e com isso corremos sérios riscos, pois esta escrito: “… se possível fora, enganariam até os escolhidos.” (Mateus 24: 24) Creia, nós somos os escolhidos do Senhor para fazer a diferença nessa terra, somos chamados luz do mundo, sal da terra, embaixadores do Reino, filhos de Deus, mais que vencedores e tantos outros adjetivos que cabem para aqueles que receberam Jesus Cristo em suas vidas como único Senhor e suficiente Salvador, vamos tomar posse das nossas responsabilidades no Senhor e fazer com que o amor de Deus seja visto e sentido por todos aqueles que nos cercam.

 

Tudo isso, aqui, escrito é para divulgar a Palavra do nosso Deus e levar a vontade dEle ao maior número de pessoas possível, que Deus através destas palavras possa mostrar a quem lê, a Sua boa, agradável e perfeita vontade, tudo isso em nome do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.


Para refletir;

 

Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o címbalo que retine. E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. E ainda que distribuísse todos os meus bens para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria. O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece, não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal; não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais acaba; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; porque, em parte conhecemos, e em parte profetizamos; mas, quando vier o que é perfeito, então o que é em parte será aniquilado. Quando eu era menino, pensava como menino; mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino. Porque agora vemos como por espelho, em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei plenamente, como também sou plenamente conhecido. Agora, pois, permanecem a fé, a esperança, o amor, estes três; mas o maior destes é o amor.” (I Corintios 13: 1 a 13)


Um carinhoso abraço do seu irmão em Cristo,

Frank Medina

Facebook Comentarios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *