O dinheiro não é a única coisa que faz um chefe feliz

0
7

bagofmoney[1]Ser um chefe significa muito mais do que um salário maior, uma nova pesquisa encontra.

Um estudo realizado pelo Pew Research Center revelou que, além de ganhar salários mais altos, chefes da América estão mais satisfeitos com a sua vida familiar, trabalho e situação financeira global do que os empregados que não são chefes. Além disso, os gestores de topo que têm filhos são menos propensos do que outros pais que trabalham a dizer paternidade tem sido um obstáculo para o avanço do trabalho.

Especificamente, 83 por cento dos chefes se descrevem como “muito satisfeitos” com sua situação familiar, em comparação com apenas 74 por cento dos trabalhadores que não são chefes. O fosso alarga-se, no entanto, quando o assunto se volta para empregos. Quase 70 por cento dos patrões estão muito satisfeitos com a sua posição atual, em comparação com menos de metade dos trabalhadores não são chefes.

Gestores de topo também são significativamente mais prováveis ​​do que aqueles que trabalham para eles a pensar em seu trabalho como uma carreira e menos propensos a dizer que é apenas um trabalho. Além disso, os gestores estão mais propensos a dizer que eles têm a educação e formação suficiente para ajudá-los a ter sucesso e acreditar que eles são razoavelmente pago pelo trabalho que fazem.

Chefes também estão mais satisfeitos com a sua financeiro linha de fundo . O estudo mostrou que quatro em cada 10 gestores de topo disse que eles estão muito satisfeitos com a sua situação financeira, em comparação com apenas 28 por cento dos trabalhadores que não são chefes.

Os pesquisadores disseram que, considerando estes resultados, não é de estranhar que os chefes são apenas cerca de metade da probabilidade que os outros trabalhadores à procura de outro emprego.

O estudo também descobriu que os homens brancos eram mais propensos a ser chefes. Dezesseis por cento dos homens, em comparação com apenas 10 por cento das mulheres, são os gestores de topo, enquanto 16 por cento de todos os brancos são os patrões, em comparação com 6 por cento de negros e 4 por cento dos hispânicos.

A pesquisa mostrou que, tendo entrado recentemente no mercado de trabalho, geração do milênio são o grupo etário menor probabilidade de estar no comando: Apenas 4 por cento da geração do milênio são os patrões, em comparação com 16 por cento da geração X e 17 por cento dos que tem criança em casa.

Chefes de hoje também são um pouco mais educados do que os outros adultos. De acordo com a pesquisa, as pessoas com diplomas universitários ou de alguma experiência da faculdade são quase duas vezes mais probabilidade de ter um trabalho de chefia de topo do que aqueles com menos educação.

O estudo foi baseado em entrevistas com 1.301 a tempo completo ea tempo parcial trabalhadores.

Fonte: http://www.livescience.com/42698-money-not-the-only-thing-making-bosses-happy.html
Autor: Chad Brooks
Tradução: Daniel Fernando Ribeiro César

Facebook Comentarios

LEAVE A REPLY