quarta-feira , 29 março 2017

Não viva só com a Razão – Frank Medina

Este artigo já foi visto365 vezes!

Não Viva Só Com a Razão.


“Um dia, durante uma conversa entre advogados, me fizeram uma pergunta:

– O que de mais importante você já fez na sua vida?

A resposta me veio a mente na hora, mas não foi a que respondi pois as circunstâncias não eram apropriadas. No papel de advogado da indústria do espetáculo, sabia que os assistentes queriam escutar anedotas sobre meu trabalho com as celebridades. Mas aqui vai a verdadeira, que surgiu das profundezas das minhas recordações:

– O mais importante que já fiz na minha vida, ocorreu em 08 de outubro de 1990.

Comecei o dia jogando golfe com um ex-colega e amigo meu que há muito não o via. Entre uma jogada e outra, conversávamos a respeito do que acontecia na vida de cada um. Ele me contava que sua esposa e ele acabavam de ter um bebê. Enquanto jogávamos chegou o pai do meu amigo que, consternado, lhe diz que seu bebê parou de respirar e que foi levado p/ o hospital com urgência. No mesmo instante, meu amigo subiu no carro de seu pai e se foi.

Por um momento fiquei onde estava, sem pensar nem me mover, mas logo tratei de pensar no que deveria fazer:

Seguir meu amigo ao hospital? Minha presença, disse a mim mesmo, não serviria de nada pois a criança certamente está sob cuidados de médicos, enfermeiras, e nada havia que eu pudesse fazer para mudar a situação.

Oferecer meu apoio moral? Talvez, mas tanto ele quanto sua esposa vinham de famílias numerosas e sem dúvida estariam rodeados de amigos e familiares que lhes ofereceriam apoio e conforto necessários acontecesse o que acontecesse. A única coisa que eu faria indo até lá, era atrapalhar. Decidi que mais tarde iria ver o meu amigo. Quando dei a partida no meu carro, percebi que o meu amigo havia deixado o seu carro, aberto com as chaves na ignição, estacionado junto às quadras de tênis. Decidi, então, fechar o carro e ir até o hospital entregar-lhe as chaves.

Como imaginei, a sala de espera estava repleta de familiares que os consolavam. Entrei sem fazer ruído e fiquei junto à porta pensando o que deveria fazer. Não demorou muito e surgiu um médico que aproximou-se do casal e em voz baixa, comunica o falecimento do bebê.

Durante os instantes que ficaram abraçados – a mim pareceu uma eternidade – choravam enquanto todos os demais ficaram ao redor daquele silêncio de dor.

O médico lhes perguntou se desejariam ficar alguns instantes com a criança. Meus amigos ficaram de pé e caminharam resignadamente até a porta.

Ao ver-me ali, aquela mãe me abraçou e começou a chorar.

Também meu amigo se refugiou em meus braços e me disse:

– Muito Obrigado por estar aqui!

Durante o resto da manhã fiquei sentado na sala de emergências do hospital, vendo meu amigo e sua esposa segurar nos braços seu bebê, despedindo-se dele.

Isso foi o mais importante que já fiz na minha vida.

Aquela experiência me deixou três lições:

Primeira: o mais importante que fiz na vida, ocorreu quando não havia absolutamente nada, nada que eu pudesse fazer. Nada daquilo que aprendi na universidade, nem nos anos em que exercia a minha profissão, nem todo o racional que utilizei para analisar a situação e decidir o que eu deveria fazer, me serviu para naquelas circunstâncias: duas pessoas receberam uma desgraça e nada eu poderia fazer para remediar. A única coisa que poderia fazer era esperar e acompanhá-los. Isto era o principal.

Segunda: estou convencido que o mais importante que já fiz na minha vida esteve a ponto de não ocorrer, devido às coisas que aprendi na universidade, aos conceitos do racional que aplicava na minha vida pessoal assim como faço na profissional. Ao aprender a pensar, quase me esqueci de sentir. Hoje, não tenho dúvida alguma que devia ter subido naquele carro sem vacilar e acompanhar meu amigo ao hospital.

Terceira: aprendi que a vida pode mudar em um instante. Intelectualmente todos nós sabemos disso, mas acreditamos que os infortúnios acontecem com os outros. Assim fazemos nossos planos e imaginamos nosso futuro como algo tão real como se não houvesse espaços para outras ocorrências. Mas ao acordarmos de manhã, esquecemos que perder o emprego, sofrer uma doença, ou cruzar com um motorista embriagado e outras mil coisas, podem alterar este futuro em um piscar de olhos. Para alguns é necessário viver uma tragédia para recolocar as coisas em perspectiva.

Desde aquele dia busquei um equilíbrio entre o trabalho e a minha vida. Aprendi que nenhum emprego, por mais gratificante que seja, compensa perder férias, romper um casamento ou passar um dia festivo longe da família.

E aprendi, que o mais importante da vida não é ganhar dinheiro, nem ascender socialmente, nem receber honras. O mais importante da vida é ter tempo para cultivar uma amizade.”

(Autor Desconhecido)


Queridos, tudo bem?

 

Que o amor de Deus, a graça e paz de Jesus Cristo e a comunhão do Espírito Santo esteja contigo e com todos os que você ama no dia de hoje.

 

A história ou estória acima, meu querido, é uma grande lição de vida, quantas vezes perdemos a chance de agir com a emoção devido termos que agir pela razão, é bom racionalizar as coisas, mas temos que estar abertos para deixar que as nossas emoções nos conduzam.

 

Infelizmente algo muito parecido aconteceu comigo a uns 9 anoss atrás, uma pessoa maravilhosa que acabei conhecendo devido a esses e-mails que envio estava com sua filha internada e desenganada pelos médicos, enquanto a menina estava no hospital visitei-a, orei por ela, conversei muito com a mãe dela. Acredito que pela vontade de Deus (e só Ele pode explicar isso) a menina faleceu e eu me decidi a comparecer no velório, dizer alguma palavra de conforto aquela mãe, mas acabou acontecendo naquele diz algumas situações que me impediram de ir e sinceramente me sinto mal até hoje, sei que se tivesse me esforçado um pouco mais teria conseguido ir, mas acredito que isso serviu como lição para que se por acaso ocorrer novamente saberei pelo menos como agir.

 

Nós vivemos aqui na terra, meus queridos, em média 75 anos e pelo menos 60 anos as pessoas vivem correndo atrás de dinheiro, tentando subir o máximo que podem em suas carreiras e muitas vezes esquecem-se do que é realmente prioritário na vida, as pessoas buscam a realização profissional e pessoal e com isso se esquecem de Deus, se esquecem dos seus familiares, dos seus amigos, ou seja, vivem longe do que realmente pode nos trazer alguma realização, a Bíblia nos diz no livro de I Timóteo 5: 8 “Mas, se alguém não cuida dos seus, e especialmente dos da sua família, tem negado a fé, e é pior que um incrédulo.” Minha esposa faz um excelente comparativo, ela não teve a oportunidade de fazer faculdade e quando as pessoas perguntam em que ela se formou ela diz: “Me graduei na criação e educação de minha primeira filha, fiz mestrado na criação e educação de minha segunda filha e doutorado na criação e educação do meu primeiro filho”. Minha esposa deixou o trabalho, os estudos, etc., para fazer o que de mais importante Deus esperava dela cuidar, criar e educar nossos filhos. A prioridades de nossas vidas deve ser: Termos Deus em primeiro lugar nas nossas vidas, a família em segundo e depois as outras coisas, como os estudos, trabalho, a obra de Deus e etc. E porque acredito nisso, claro que existe suas exceções, mas a nossa família às vezes são os únicos que estão ao nosso lado aqui na terra, quando estamos em sérias dificuldades, são nossos familiares que nos dão o sustento necessário para seguir em frente, termos amigos que estão conosco na alegria e na tristeza também nos traz tranquilidade de saber com quem contar, pense nisso. Nada que esta vida pode oferecer é melhor do que o que Deus tem para oferecer, dinheiro jamais trará a realização que esperamos, somente os nossos relacionamentos trazem está realização, sempre que puder pare um minuto e reflita sobre o que está ocorrendo na sua vida e volte-se a Deus, fale com Ele, coloque a sua vida nas mãos dEle e Ele te concederá tudo o que você precisa para viver, senão veja: “Mas buscai primeiro o Seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” (Mateus 6: 33) e mais: Deleita-te também no Senhor, e Ele te concederá o que deseja o teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e Ele tudo fará”. (Salmos 37: 4 e 5)

 

Tudo isso aqui escrito é para divulgar a Palavra do nosso Deus e levar a vontade dEle ao maior número de pessoas possível, que Deus através destas palavras possa mostrar a quem lê, a Sua boa, agradável e perfeita vontade, tudo isso em nome do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

 


Para Refletir;

 

“Por isso vos digo: Não estejais ansiosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer, ou pelo que haveis de beber; nem, quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que o vestuário? Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem ceifam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não valeis vós muito mais do que elas? Ora, qual de vós, por mais ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado à sua estatura? E pelo que haveis de vestir, por que andais ansiosos? Olhai para os lírios do campo, como crescem; não trabalham nem fiam; contudo vos digo que nem mesmo Salomão em toda a sua glória se vestiu como um deles. Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós, homens de pouca fé? Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que havemos de comer? ou: Que havemos de beber? ou: Com que nos havemos de vestir? (Pois a todas estas coisas os gentios procuram.) Porque vosso Pai celestial sabe que precisais de tudo isso. Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã; porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal.” (Mateus 6: 25 a 34) 


 

Um carinhoso abraço do seu irmão em Cristo,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *