Novidades

Minha família, em preto e branco

Minha Familia em Preto e Branco

Minha família, em preto e branco


Sim, somos de diferentes raças.Você pode parar de olhar agora!!!
Em uma fotografia, uma menina, de 5 anos, seu cabelo loiro em duas tranças, situa-se entre um homem e uma mulher que a primeira vista são muito diferentes dela. E é aí que o problema começou.

Algumas semanas atrás, a CNN informou, “As autoridades fizeram perguntas sobre Maria, porque ela tem pele clara e cabelo loiro enquanto seus pais têm pele mais escura normalmente típica das pessoas de Roma, chamados de ciganos”. Eventualmente, os pais biológicos da menina se aproximaram e seus pais adotivos foram acusados de rapto, mas enquanto a notícia desta menina (e outros dois na Irlanda) repercutiu diretamente na minha vida, eu não pude deixar de ver o reflexo da minha própria família.

Quando eu sai em público com os meus dois filhos negros e um filho branco, foi de virar a cabeça. Como aquelas famílias europeias, o meu caso é sujeito a uma pesquisa, porque a cor da nossa pele não bate, parece algo de errado.

Estranhos sugeriram usar produtos de pele e cuidado com os cabelos e perguntaram se eu estou me cuidando. Eles perguntam se os meus filhos são trigêmeos. Já me disseram que eu sou um anjo. Já me xingaram de racista. Onde quer que vá, as pessoas de todas as etnias fazem julgamentos sobre mim simplesmente por causa da forma que nós somos apenas nos olhando.

Isto é muito comum para pais brancos de crianças negras. Quando eu postei uma pergunta sobre as experiências das famílias em uma página de Adoção no Facebook, derramaram dezenas de histórias sobre como “Uma mulher Afro-americana me parou na biblioteca local”, escrita por uma mãe “, querendo saber onde foi que tivemos a nossa filha. Ela, então, olhou para a minha filha bem no rosto, e perguntou: “Você está feliz com eles? Você quer voltar para casa comigo? ‘”

As histórias variaram de inofensivo (“Eu tive as pessoas perguntam ‘Onde estão os seus pais?” Quando eu estou bem de frente com elas”, escreveu uma mulher) para assustadoras. Vários pais disseram de espectadores ameaçando chamar a polícia quando a criança começaram a gritar e fazer birra na rua enquanto era colocadas em um assento de carro.

Em um ensaio recente para o jornal New York Times , o pai adotivo Frank Ligtvoet escreveu:

Nossa filha uma vez jogou uma birra em uma rua movimentada no caminho para a escola, e que a única maneira de avançar envolvido arrastando.Não era uma visão bonita, e uma mulher negra que havia testemunhado a cena se aproximou e, ignorando o meu parceiro, que estava fazendo o arraste, dirigiu o nosso filho: “Este é ou não é seu pai?” Ela estava reivindicando a nossa filha como parte da comunidade negra.

Principalmente, as pessoas estão tentando garantir que os nossos filhos estão bem. Eu posso até apreciar isso. Mas, às vezes, como na história da pessoa de Ligtvoet, há todo um contexto para as perguntas. A desaprovação das famílias trans-raciais. Um longo olhar de ceticismo sobre nós, pais brancos são realmente o que é melhor para essas crianças.

Autora: Megan Colina
Tradução: Daniel Fernando Ribeiro César
Fonte: http://www.christianitytoday.com

Facebook Comentarios

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*