Falem Comigo Bem Cedo

Falem Comigo Bem Cedo

setembro 5, 2011 0 Por Josh McDowell

“Falem Comigo Bem Cedo”

“Falem comigo cedo e freqüentemente, contando-me o que preciso saber.”

           As três faixas etárias que escreveram os ensaios, afirmaram a importância dos pais falarem sobre sexo bem cedo. Muitos declaram que na sétima série era tarde demais. Muitos adolescentes gostariam de ter ouvido os pais falarem sobre o assunto mais cedo. Eles sentiam que não estavam preparados para o ataque moral.

           Da mesma forma, vários deles comentaram que muitas conversas rápidas eram mais eficazes do que “aquela longa”.


           Perigos são aquelas coisas de que somos avisados constantemente na juventude. Embora minha mãe me advertisse inúmeras vezes sobre os perigos de brincar com fósforos, ninguém jamais me disse que o sexo pré-conjugal poderia deixar cicatrizes tão profundas quanto as de uma queimadura. Por causa das constantes advertências sobre os perigos do fogo, eu jamais me queimei. Não fui,  porém, tão feliz no que se refere ao sexo antes do casamento, pois foram necessários anos para remover algumas cicatrizes que ficaram.

           Gostaria de poder voltar no tempo com a informação que tenho agora e mudar tudo. Eu teria saído muito menos machucada se houvesse alguém para me guiar e ajudar. Não me era certamente possível falar com meus pais a respeito – eles nem sequer sabiam que eu retribuia os beijos dos rapazes. Não podia também falar no assunto com minhas amigas – elas era tão desinformadas quanto eu naquela idade. Eu não tinha ninguém para quem me voltar e compreendo hoje que me voltei na direção errada.

           Esta é a principal razão para estar escrevendo isto. Existem muitas garotas com medo, desinformadas por ai, como eu era. Só quero ajudá-las. Não quero que passem pelo que eu passei. Eu me sentia indigna e vazia, e sofri muita culpa.


           Como as pessoas obtém percepções tão negativas do sexo? Uma razão é tratar-se de uma discussão proibida. Ela torna os pais embaraçados quando o assunto é trazido à tona, geralmente porque os pais deles também se sentiam dessa forma. Devido a esse constrangimento, os pais deixar de aconselhar, advertir e avisar sobre o uso ou abuso deste dom, importante dom de Deus. Sim! De Deus! O sexo foi primeiro idéia de Deus. Ele o planejou. Segundo Gênesis 1:31, fomos criados excelentes de todos os modos. Isso inclui nossa capacidade sexual.

           Em lugar de ouvir a respeito dessas habilidades especiais dos pais e outras autoridades corretamente informadas, os jovens ouvem falar de sexo por parte dos amigos e através da mídia. Revistas, televisão, cartazes, jornais e filmes se concentram a maior parte do tempo no sexo. De uma forma ou de outra, tudo parece estar relacionado com ele. A música também o enfoca. Segundo essas fontes, o sexo é ótimo em quaisquer circunstâncias, se é isso que você quer. O lema subjacente é: “Se for bom, faça”.


           Apesar de ter crescido no “cinturão bíblico”, e ter muitos amigos cristão, ninguém jamais me disse que o sexo pré-conjugal era errado. Nem mesmo minha mãe. Ela não queria transferir-me seus preconceitos e por isso não tocou no assunto.

           Acredito que esta seja um das principais razões por que as pessoas de todas as idades praticam o sexo pré-conjugal. Elas não conhecem a perspectiva de Deus.

           Mamãe e Papai, gostaria que vocês tivessem sido mais abertos na sua comunicação conosco enquanto crescíamos, especialmente ao confrontar questões dessa fase. Vocês deveriam ter conversado comigo antes de eu ter entrado em problemas e não depois.


           Pais, compartilhem o amor e cuidado de Deus com seus filhos. Assegurem-se de que eles sabem que Deus está interessado em suas vidas. Sejam francos em dizer-lhes que Deus compreende os sentimentos sexuais deles. Mesmo com as atividades de hoje supostamente “liberais” sobre sexo, o primeiro diálogo dos pais com os filhos a respeito do sexo é, geralmente, motivado pela descoberta de anticoncepcionais escondidos no quarto das “crianças”.


           Gostaria que meus pais tivessem sido mais abertos nesta área. Acho que se meus pais tivessem sido mais honestos ao me falarem sobre sexo, eu não teria tantas dúvidas e infirmações erradas; foi isso que aconteceu comigo quando crescia, ouvindo as experiências dos antigos de moral muito errada.


           Toda minha vida me disseram que o sexo antes do casamento era errado, mas ninguém me contou a razão. Eu tinha sentimentos de culpa, amargura, ódio, ciúmes, solidão, frustração e sujeira. Devido a esses sentimentos, eu dizia: “Precisamos para de fazer sexo ou pelo menos diminuir”. Bem, tentamos diminuir, mais isso não funcionou. Em lugar de nos unirmos cada vez mais, nos separamos cada vez mais.

           Depois de dois anos de namoro rompi com ele, ou seja, ele rompeu comigo. Eu disse finalmente: “Nada de sexo de agora em diante”, e ele disse: “Adeus”. Desde então sempre que eu namorava alguém durante algum tempo, o sexo tornava-se parte da relação. As lágrimas sempre vinham porque eu sabia que tinha posto tudo novamente a perder e pior ainda, eu não sabia o porquê exceto pelo fato de que miziam isso.


           Acho que para você desenvolver convicções sobre o sexo, alguém tem de ensinar e treinar você sobre os padrões apropriados. Dizer apenas que isto é certo e aquilo é errado não basta. Você tem de ser treinado e ensinado a ser responsável pelas suas ações.

           Esta é uma área em que a prática machuca em vez de ajudar. Se você tem de provar as suas convicções contrariando-as, já estragou tudo.


           Até hoje sou grato pelas coisas que meus pais me disseram que não deveria fazer, porque não sei onde estaria agora sem elas. Embora façamos pouco caso desses conselhos, mesmo assim os ouvimos e ainda nos lembramos deles.


           Meus pais não souberam quando deveriam ter-me ensinado. Eles não perceberam que eu já sabia tudo na terceira série. Eles acharam que poderiam esperar até a escola secundária – e então fui eu que expliquei tudo a eles.


           Penso que ajudaria se os pais tomassem tempo para compreender o impacto positivo que fariam se mostrassem ao filho de maneira bondosa e gentil que o sexo pré-conjugal é uma coisa séria e como ele poderia afetá-lo, ou apenas sentar-se e conversar com o filho. Sei que seria mais fácil saber que há alguém que possa responsabilizar você, alguém que você saiba que realmente se interessa por você.


           Os pais poderiam ficar surpresos ao ver como é fácil conversar com os filhos uma vez que comecem. Você irá descobrir que eles compartilhar os mesmos valores e idéias que você, mas são também inseguros de si mesmos.


           Uma razão para o sexo antes do casamento foi explicada por uma garota. “Meus pais faziam tanto segredo do assunto e o consideravam tão terrível que tive de descobrir sozinha. Gostaria que me tivessem dito que era importante haver amor verdadeiro envolvido. Ela aprendeu da maneira difícil, mas promete explicar sobre o sexo a seus filhos, da maneira certa, antes que eles acabem machucados como ela.


           A seguinte observação mostra tremenda sabedoria e percepção sobre a necessidade da igreja enfrentar a questão do sexo de frente e de maneira positiva, bíblica.


           Acredito que a igreja como um todo perverteu toda a lindíssima experiência do sexo ao crescer na igreja você fica condicionado a crer que o sexo é mau, errado e não se deve falar abertamente a respeito dele. É considerado “tabu” falar sobre sexo fora de casa, e mesmo ali não se fala muito sobre isso. O sexo é aprendido. Se não for tratado por pais, professores etc., mesmo assim será aprendido,mas através de eventos que não se pode controlar. A igreja coloca uma nuvem negra sobre o sexo – ela vai até o extremo de apresentá-lo como um ato que não é natural. Esta perspectiva é mantida por uma virgem que freqüenta a igreja e não a odeia, mas vê a necessiade de certas mudanças básicas.

         Fonte: Os adolescentes Falam (Uma descoberta estarrecedora feita por Josh McDowell – 60% dos Jovens CRISTÃOS são sexualmente ativos. Págs. 113 a 117 Editora e Distribuidora Candeia. Rua Belarmino Cardoso de Andrade, 108 – Interlagos – São Paulo, CEP.: 04809-270.

Facebook Comentarios