A Mulher é Vaidosa? Wanda Assumpção

A Mulher é Vaidosa? Wanda Assumpção

setembro 5, 2011 0 Por Wanda Assumpção

A MULHER É VAIDOSA?  


Wanda de Assumpção 

          Recentemente, um noticiário nacional mostrou uma nova investida da indústria de cosméticos, direcionada, dessa vez, a meninas que ainda deviam estar preocupadas unicamente com jogos e brincadeiras infantis. A ênfase exagerada de nossos dias sobre a beleza física tem base comercial sólida, pois essa indústria produz um lucro anual de muitos bilhões de dólares.

          O alvo principal das estratégias de vendas desses produtos é o público feminino, pois a mulher goza da fama de ser vaidosa e de gastar o que pode e o que não pode para cuidar de sua aparência. Aliás, a reportagem afirma que as próprias mães estão incentivando as filhas a começarem a cultivar essa preocupação com a beleza física cada vez mais cedo. E por quê?

          Temos uma admiração inata pelo belo, porque fomos criadas à imagem de Deus que fez tudo com um capricho e  uma beleza que nem mesmo os mais inspirados poetas conseguem cantar adequadamente. Apreciamos o belo e a beleza nos faz bem. Além disso, nós, mulheres, queremos agradar àqueles a quem amamos, e desejamos que as pessoas nos apreciem também. Para isso, cuidamos do nosso físico, caprichando no visual, pois é a primeira coisa que as pessoas vêem. A própria Bíblia nos diz que é válido e natural querermos nos enfeitar para aqueles a quem amamos (Is 61.10). Jóias, roupas finas, perfumes também nos são apresentados no livro de Cantares como cuidados que revelam o amor da esposa pelo marido e seu desejo de agradá-lo. E não só nos tempos antigos. Um estudo atual mostra que uma das principais necessidades do marido é a de ter uma esposa atraente.

          Entretanto, a ênfase que hoje é dada à beleza física leva a uma distorção para quem a busca, o qual é levado a pensar nela como um valor absoluto. As mulheres, confrontadas por todos os lados com padrões impossíveis de beleza, buscam segurança nos produtos e procedimentos que prometem recriar e perpetuar sua aparência. Por isso, vemos mulheres se matando de fome e exagerando em exercícios físicos, além de se submeterem a inúmeras cirurgias plásticas, a fim de se manterem no que hoje é considerado padrão de beleza.

          Por causa disso, os homens são incentivados a ver a beleza física como único atrativo das mulheres, e não aprendem a apreciar as qualidades que Deus teve o cuidado de colocar em suas companheiras. Tornam-se fãs das revistas eróticas, coisificam a mulher, e acabam diminuídos e empobrecidos em sua masculinidade.

          Isso é vaidade – a vaidade perniciosa que sacrifica o espírito e a alma.  O culto exagerado do físico distorce o senso de apreciação do belo, e não podemos nos esquecer de que a beleza é o reflexo dAquele que nos criou.

          No entanto, a mulher, cuja identidade está seguramente fundamentada no amor incondicional e no propósito de Deus para sua vida, sabe que a verdadeira beleza – fruto de um espírito manso e tranqüilo – brota de dentro para fora e não se corrompe com o passar dos anos. Antes, vai florescendo com a chegada dos cabelos prateados e das rugas até se transformar num fulgor que aquece e ilumina todos os que dela se aproximam.

      Wanda da Assumpção é escritora e membro da Igreja Presbiteriana de Vila Mariana (SP).

      Email: wanda@merlintec.com

      Fonte: Revista Graça, fevereiro / 2000. Fone: 0800-17-2085 www.editoravida.com.br 

Facebook Comentarios